Carreira na Área de Soldagem – Parte 2

0

Ricardo Ryuichi Takei Ryuichi.takei@gmail.com
Prof. Luiz Gimenes Jr. gimenes@infosolda.com.br

3.2 Maçariqueiro

O profissional recebe esse nome devido o equipamento (Maçarico) que utiliza para o trabalho, o profissional maçariqueiro utiliza o maçarico para executar cortes em chapas metálicas e máquinas de cortes quando há a necessidade de um corte de maior precisão. Assim como todos na área de soldagem, é responsável pela manutenção e funcionamento do seu equipamento, tendo que fazer a verificação das mangueiras e bicos de corte e dos manômetros. Detém o conhecimento das normas técnicas regentes das operações, instruções, procedimentos e conduta a serem tomadas enquanto estiver em trabalho. Exige destreza do maçariqueiro no momento da execução dos cortes, por exigir total coordenação do funcionário, a conduta a ser tomada se faz necessária devido a periculosidade do trabalho.

O profissional poderá atuar em diversos empreendimentos como gasodutos, estaleiros, plataformas de petróleo e gás, refinarias ou ambiente fabril. Sendo que poderá estar executando o trabalho tanto em locais abertos como fechado. Por operar um equipamento potencialmente perigoso ao profissional e a sua volta, faz-se necessário o uso de EPI’s e EPC’s.

3.3 Encarregado, Mestre ou Supervisor

O encarregado na área de soldagem tem como função ter controle sobre a produção da empresa, assim como quanto as reuniões entre os membros de sua equipe e contratações. Faz com que ele tenha interação tanto com a produção quanto com as áreas financeiras, contratações, operações de logísticas e qualidade. Necessariamente, o encarregado deve cumprir com as normas de qualidade, preservação do meio ambiente e segurança do trabalho.

Para esse cargo, é imprescindível que haja uma experiência passada com o segmento, isso por que é necessário um conhecimento avançado nos processos de soldagem, pelo fato de ter que apontar os erros e corrigi-los enquanto estão dentro da empresa.

É muito importante que o encarregado tenha as qualidades de um líder, como faz um papel que estará entre os operadores e os gestores, valoriza-se a boa comunicação, bom senso e personalidade.

3.4  Inspetor

O inspetor na área de soldagem é o profissional que estará validando todos os trabalhos dos soldadores, desde que, seja requerido pela norma. É um cargo de total autonomia, o que faz com que seja requisito ser um profissional com um grande conhecimento em falhas operacionais e problemas metalúrgicos. Existem diversos tipos de inspetores de soldagem, os quais serão abordados nesse artigo, essa variedade se dá devido às múltiplas técnicas existentes no mercado, sendo que cada técnica demanda um curso diferente, assim como equipamentos para realizar a inspeção.

O inspetor deve seguir todo o procedimento para sua inspeção e também estar com os documentos que rastreiam o processo, para facilitar sua avaliação. A partir das suas informações colhidas com os documentos e pela sua avaliação de ensaios, o inspetor aprovará ou não os cordões de solda.

Inspetores não trabalham sempre no mesmo local, normalmente são sempre solicitados em diferentes locais, os quais são locais como: estaleiros, plataformas de petróleo, indústrias metal mecânica, canteiros de obras e etc. Portanto todos os inspetores tendem a ter os equipamentos para suas inspeções e transportá-los.

3.5 Assistente na Área comercial

O assistente na área comercial, quando derivado da área de soldagem, tem em sua formação normalmente cursos superiores como Tecnólogo na área de soldagem ou Engenharia. Esses cursos embasam o profissional para atuar nesse ramo. Isso por que quando se esta na área comercial, o profissional entra em contato frequente com clientes e sempre contatará pessoas com dúvidas ou necessitadas de soluções técnicas que ele poderá solucionar. Ele dará suporte para todos os outros membros da área comercial que não tem o mesmo conhecimento que ele. Normalmente é notória a diferença entre membros com conhecimento técnico de sua produção, o que dão a eles um grande diferencial diante aos outros membros de sua equipe.

Quando nesse cargo, o profissional deverá realizar reuniões tanto com o cliente quanto com equipes dentro de sua empresa para agilizar e ver se é viável a aceitação de novos projetos. Tem proximidades com grande maioria de gestores da empresa, isso por fazer parte de uma equipe que traz lucro direto á empresa.

3.6  Especialista

O especialista na área de soldagem é o profissional que esta apto a planejar, executar, supervisionar e analisar tudo dentro do mundo da soldagem, não pode aprovar nada desde que ele seja também um inspetor, não se envolve diretamente com clientes, mas faz parte das reuniões de planejamento e desenvolvimento de processo. É um membro muito importante no desenvolvimento, pois é a partir dele que os funcionários envolvidos em um projeto de soldagem irão tirar suas dúvidas e ele também estará acompanhando os projetos de perto.

3.7 Técnico

Profissional com grande capacitação de planejamento, operação e supervisão de processos de soldagem na área metal mecânica, detém o conhecimento de normas técnicas de segurança, qualidade, meio ambiente e saúde.

O técnico estará em um ambiente no qual será exigido maior capacidade intelectual, emitirá documentos técnicos e estará em constante contato com desenhos técnicos com linguagem específica das simbologias de soldagem.

Detém o conhecimento dos fundamentos de soldagem, como os consumíveis, processos de soldagem, ensaios destrutivos e não destrutivos. Será responsável pelo esclarecimento e emissão das EPS.

3.8 Inspetor

No ramo da inspeção de solda se apresenta a carreira que podemos dizer ser uma das mais visadas na área, isso devido ao reconhecimento e pelo retorno que se recebe por trabalho realizado. Mesmo no âmbito das análises existem categorias e diferenças dependendo de onde ira atuar o profissional, podendo ser essas diferenças geradas através das normas que atuam naquele local.

4.1 Inspetor Internacional

O inspetor internacional é uma qualificação suportada pela IIW (International Institute of Welding) e pela EWF (European Federation for Welding, Joining and Cutting), qualificação que o permite avaliar a competência de tarefas e responsabilidades durante a coordenação de processos de soldagem (BS EN ISO 14731:2006).

BS EN ISSO 14731:2006 Coordenação de Soldagem – Especifica que o pessoal de coordenação de soldagem deve ser capaz de demonstrar conhecimentos gerais e específicos nos processos de soldagem e processos aliados á ela. Esse conhecimento deve se resultar de uma combinação da teoria, treino e experiência.

Quem possui o diploma da EWF/ IIW esta qualificado para coordenar atividade de soldagem como descrito na ISO 14731, cujo cumprimento é exigido pela BS EN ISO 3834 (qualidade requerida para solda de materiais metálicos).

Essa certificação da EWF/IIW consiste em quatro diferentes níveis: Especialista (IWS), Tecnológo (IWT) e o Engenheiro (IWE). No entanto os tópicos entre esses níveis são similares, mas vão se aprofundando a medida que se aproximam do nível de engenheiro.

Profissional (IWP)

Grupo com conhecimento teórico básico para executar todos os processos de soldagem.

Especialista (IWS)

Grupo com conhecimento técnico básico, onde o conhecimento técnico já é o suficiente para planejar, executar, supervisionar e ensaiar as tarefas e as responsabilidades com um campo técnico limitado, envolvendo apenas construções de solda simples.

Tecnólogo (IWT)

Grupo com conhecimento técnico especifico,onde o nível técnico é suficiente para planejar, executar, supervisionar e ensaiar as tarefas e responsabilidades na fabricação da solda dentro de um campo técnico seleto ou limitado.

Engenheiro (IWE)

Grupo com conhecimento técnico compreensivo, onde todo conhecimento técnico é requerido para planejar, executar, supervisionar e ensaiar todas as tarefas e responsabilidades na fabricação da soldagem.

Módulos

Cada nível consiste de quatro módulos:

  • Processos e equipamentos de soldagem
  • Materiais e comportamento durante a soldagem
  • Construção e design

  • Engenharia de fabricação e aplicação Para o nível de Especialista tem dois módulos adicionais:
  • Processos e equipamentos avançados de soldagem
  • Tecnologia de soldagem prática Embora consista o mesmo número de módulos para todos, o tempo de duração de cada um para cada nível é diferente, como é possível ver abaixo:

MT = Módulo Total (Parte 1 + Parte 3)
P1 = Parte 1

Requerimentos para o ingresso Nível Profissional

  • Obter um certificado de qualificação de soldador validada (ISO 9606 H-L045 ss nb) em um dos processos de soldagem listadas na 5.1 do ISO 9606 ou equivalente, e.g. EN 287-1 H-L045 ss nb , ou ASME IX 6G.Ou obter um certificado de qualificação como soldador de chapa para as seguintes condições: PE ss nb ou PC e PF ss nb, de acordo com a ISO 9606 em pelo menos um processo, e/ou outra certificação nacional equivalente IIW.
  • Requerido que o candidato tenha no mínimo 21 anos e 2 anos de experiência como soldador.

Nível Especialista

  • Diploma de ofício aprovado em disciplinas de engenharia, por exemplo City ou Guilds of London Institute
  • Nível 2/3 Nacional ou qualificação vocacional escocesa ou qualquer qualificação vocacional nacional reconhecida   com   disciplinas   de engenharia.

Nível Tecnólogo

  • Certificado nacional superior em uma disciplina de engenharia (HNC)
  • Engenheiro Professional com status de incorporado (IEng) pelo Conselho de engenharia do Reino Unido.
  • Nível 4 Nacional ou qualificação vocacional escocesa ou qualquer qualificação vocacional nacional reconhecida com disciplinas de engenharia.

Nível Engenharia

  • Licenciatura em uma disciplina de engenharia;
  • Engenheiro profissional com status privilegiado de engenheiro (CEng) concedido pelo Conselho de engenharia do Reino Unido.
  • Engenheiro profissional com status de engenharia (IEng), concedido pelo conselho de Engenharia do Reino Unido, incluindo ter Certificado superior nacional (HNC) ou Diploma superior Nacional (HND) em uma disciplina de engenharia.

Os candidatos que tiverem além da formação acadêmica e puder provar suas experiências a um nível apropriado, devem se qualificar para a rota alternativa. Podendo então isentar de alguns módulos.

Candidatos que não tem qualificação acadêmica para o ingresso, podem provar o conhecimento a um nível aceitável para fazer o TWI em engenharia de soldagem, que tem o mesmo conteúdo e exames do mesmo nível do IIW.

4.2 Inspetor Americano

Para a certificação para o inspetor no continente norte americano, a AWS (American Welding Society) se compromete a certificar os profissionais que desejam ingressar no ramo.

A certificação americana se divide em três níveis: Inspetor de soldagem Sênior Certificado (SCWI), Inspetor de Soldagem Certificado (CWI) e Inspetor de soldagem associado certificado (CAWI).

É realizado um exame para determinar o conhecimento geral da pessoa em inspeção de soldagem e áreas técnicas afins.

SCWI (Inspetor de soldagem Sênior Certificado)

O inspetor de soldagem sênior certificado preenche os seguintes requisitos:

  • Deve ser graduado do ensino médio, ou ter um diploma militar ou do estado do ensino médio
  • Deve ter no mínimo 15 anos de experiência em cargos da área de soldagem regida por normas nacionais ou internacionais, sendo que deve no mínimo ter envolvimento com 3 das áreas listadas na 5.5 da AWS B5.1
  • Deve ser qualificado como WI (welding inspector)

Como alternativa de redução do tempo de experiência nas áreas citadas, pode-se fazer o uso do caminho alternativo, reduzindo no máximo 4 anos dos 15 anos de experiência requeridos, de acordo com os dados abaixo:

– Bacharel ou ensino superior em soldagem: máximo de 4 anos se a formação for em engenharia de soldagem ou tecnologia de soldagem;
– Associado ou ensino superior: Máximo de 3 anos se é em engenharia tecnológica, engenharia ou ciência física.
Cursos técnicos: Máximo de 2 anos, apenas para conclusão bem sucedida;
– Cursos vocacionais: Máximo de 1 ano, apenas para conclusão bem sucedida.

CWI (Inspetor de Soldagem Certificado)

O inspetor de soldagem certificado preenche os seguintes requisitos:

  • Deve ser graduado do ensino médio, ou ter um diploma militar ou do estado do ensino médio
  • Deve ter no mínimo 5 anos de experiência em cargos da área de soldagem regida por normas nacionais ou internacionais, sendo que deve no mínimo ter envolvimento com 3 das áreas listadas na 5.5 da AWS B5.1
  • Oitava série do fundamental completo, com no mínimo 9 anos de experiência em itens definidos na 5.5
  • Oitava série   incompleta   ou menos, com no mínimo 12 anos de experiência em itens definidos na 5.5 Como  alternativa  de  redução do tempo de experiência nas áreas citadas, pode-se fazer o uso do caminho alternativo, reduzindo no máximo 4 anos dos 5 anos de experiência requeridos, de acordo com os dados abaixo:

– Bacharel ou ensino superior em soldagem: máximo de 4 anos se a formação for em engenharia de soldagem ou tecnologia de soldagem;

– Associado ou ensino superior: Máximo de 3 anos se é em engenharia tecnológica, engenharia ou ciência física.

– Cursos técnicos: Máximo de 2 anos, apenas para conclusão bem sucedida ØCursos vocacionais: Máximo de 1 ano, apenas para conclusão bem sucedida.

CAWI (Inspetor de soldagem associado certificado)

O inspetor de soldagem associado certificado preenche os seguintes requisitos:

  • Deve ser graduado do ensino médio, ou ter um diploma militar ou do estado do ensino médio
  • Deve ter no mínimo 2 anos de experiência em cargos da área de soldagem regida por normas nacionais ou internacionais, sendo que deve no mínimo ter envolvimento com 3 das áreas listadas na 5.5 da AWS B5.1
  • Oitava série do fundamental completo, com no mínimo de 4 anos de experiência em itens definidos na 5.5
  • Oitava série incompleta ou menos, com no mínimo 6 anos de experiência em itens definidos na 5.5
  • Oitava série do fundamental completo, com no mínimo de 1 ano de educação vocacional e treinamento em soldagem, e uma experiência de no mínimo 3 anos em funções de soldagem, como definido no 5.5.
  • Dois anos no ensino superior em engenharia tecnológica, engenharia ou ciência física, e uma experiência de no mínimo 6 meses em funções de soldagem, como definido no 5.5.

De acordo com o item 6 da norma AWS B5.1, os candidatos deverão passar pelos testes que verificarão a acuidade visual do candidato, O candidato a inspetor de soldagem deve ter acuidade visual, natural ou corrigida, avaliada pela capacidade de ler as letras J-2 do padrão JAEGER para visão próxima, a 30 cm de distância, ou pelo emprego de método equivalente. O candidato a inspetor de soldagem deve apresentar um laudo médico que informe sobre sua capacidade de efetuar distinção cromática, avaliado pelo padrão ISHIHARA ou pelo emprego de método equivalente. Este requisito não é eliminatório. Os exames não podem terem sidos realizados mais que 7 meses, antes da data de certificação ou revalidação. Os resultados dos olhos devem ser recebidos até 30 dias depois da data do exame de certificação do candidato, caso não, seus registros, classificação e formulários de candidatura anulados e corre o risco de perder o valor de sua inscrição.

Deverá passar pelo teste teórico no qual abrange o conhecimento dos códigos, normas e especificações.

Por um teste fundamental no qual abrange o conhecimento de processos de soldagem, avaliações de ensaio não destrutivos, segurança, garantia da qualidade, deveres do inspetor, descontinuidades, símbolos de soldagem, design de juntas, propriedades mecânicas dos metais e matemática básica do dia a dia na soldagem. Basicamente esses tópicos, embora não se limitem a apenas isso.

Teste prático de inspeção de soldagem, incluindo, mas não se limitando aos procedimentos de qualificação de soldagem, qualificação do soldador, testes mecânicos, desenhos e especificação de conformidade, análise de solda e processos de ensaios não destrutivos.

Item 5.5 – Experiências de qualificação (AWS 5.5 B5.1)

  • Experiência em desenvolvimento de procedimento, requerimentos de inspeção, critérios de aceitação, e especificação para soldagem;
  • Experiência em planejar, controlar e aplicação do material de base e do material de adição na preparação e conclusão da soldagem;
  • Experiência como soldador ou operador de solda na fabricação, manufatura ou construção.
  • Experiência na detecção ou medição de descontinuidades por aplicação visual ou outro ensaio não destrutivo.
  • Experiência em planejar, controlar e aplicação em reparação de solda;
  • Experiência em preparar processos escritos para soldagem, avaliações de ensaios não destrutivos e destrutivos para a soldagem;
  • Experiência na qualificação de soldadores ou procedimentos de soldagem com códigos variados, normas e especificações;
  • Experiência na aplicação de códigos de soldagem, normas e especificações.
  • Experiência em técnicas operacionais e atividades para garantia de qualidade na soldagem.
  • Experiência em ensinar alguma habilidade ocupacional na área de soldagem ou títulos relacionados com a soldagem, tipo controle, aplicação, materiais e processos.

Requisitos de exame para SCWI

Os candidatos devem acertar no mínimo 72% da prova, como a prova tem  200  perguntas,  podem  errar no máximo 56 perguntas. A prova é dividida em duas partes, a parte A e B.

Parte A – Fundamentos Técnicos

  • Controle de temperatura e metalurgia;
  • Fundamentos, técnicas e aplicação de ensaios não destrutivos;
  • Soldagem e processos atrelados;
  • Fundamentos, técnicas e aplicação de ensaios destrutivos.

Parte B – Fundamentos Administrativos

  • Procedimento de qualificação de soldagem e código de conformidade;
  • Qualificação pessoal de soldagem e certificação;
  • Inspeção de soldagem e pessoal de ensaio não destrutivos (qualificação e certificação);
  • Garantia de qualidade e gerenciamento de qualidade;
  • Gerenciamento de projeto;
  • Gerenciamento pessoal e programas de treinamento.

“Os exames de repetição caso haja reprovação, devem ser considerados como qualquer exame efetuado no prazo de 1 ano a contar pela data do segundo exame. Os candidatos podem fazer até 2 exames de repetição no prazo de 1 ano após o primeiro exame.”

1.QC1-Standard for AWS certification of welding inspector, 2007, P 3

Requisitos de exame para CWI

Os candidatos devem acertar no mínimo 72% de cada prova, sendo divididos em 3 partes e os endossos. Parte A, Parte B, Parte C, Endossos de códigos e outros endossos. Sendo um total de 242 perguntas.

Parte A – Fundamentos Técnicos

  • Definições e terminologia
  • Processos de soldagem
  • Simbologia – Soldagem e ensaios não destrutivos
  • Análises de solda
  • Desempenho de solda
  • Métodos de ensaios – não destrutivos
  • Controle de temperatura e metalurgia
  • Cálculos inerentes a soldagem
  • Deveres e responsabilidades
  • Ensaios destrutivos
  • Corte

Parte B – Prática

  • Inspeção de soldagem e falhas
  • Procedimento e qualificação do soldador
  • Ensaios mecânicos e propriedades
  • Ensaios não destrutivos
  • Utilização de especificação e desenhos

Parte C – Códigos

  • Qualificação
  • Fabricação
  • Inspeção
  • Relatórios e registros
  • Material e projeto

“Os exames de repetição caso haja reprovação deve se considerados o mesmo exame. Os candidatos podem realizar 1 exame de repetição a cada 1 ano a partir da data do primeiro exame. Qualquer exame de repetição adicional requer a evidencia documental de 40 horas de formação adicional recebida em inspeção de soldagem que preencha os requisitos de 16.5.1. O número máximo de exames que um candidato pode fazer em um período de 3 anos é de 3.”

2.QC1-Standard for AWS certification of welding inspector, 2007, P 4

Requisitos de exame para CAWI

Os candidatos devem acertar no mínimo 60% de cada prova, sendo divididos em 3 partes e os endossos. Parte A, Parte B, Parte C. Com um total de 242 perguntas.

O conteúdo das provas são similares com o conteúdo para CWI.

4.3 Inspetor Nacional (Brasil)

Ao final da leitura deste módulo os participantes devem estar familiarizados com as competências do Inspetor de Soldagem, conforme abaixo:

  • Como se tornar um Inspetor de Soldagem
  • Atribuições do Inspetor de Soldagem

No Brasil, a   existência   da qualificação   de     Inspetores     de Soldagem nos  setores petróleo   e nuclear,  introduzida  no  início  dos anos 80 como parte dos sistemas de qualidade  destes  setores,  mostrou excelentes resultados na contribuição à melhoria da qualidade das construções soldadas. Nos últimos anos, a crescente demanda de pessoal qualificado em soldagem, nestes setores e nos demais, levaram estes a proporem à Fundação Brasileira de Tecnologia da Soldagem – FBTS a criação de uma Comissão para estudar a implantação de um Sistema de Qualificação e Certificação de Pessoal em Soldagem, a nível nacional, e definir os critérios básicos necessários para a qualificação e certificação, de forma a atender às necessidades dos vários setores industriais.

4.3.1 Como se tornar um inspetor de soldagem N1

Escolaridade e Experiência Profissional

O candidato a inspetor de soldagem deve comprovar, mediante documentos, o atendimento aos requisitos mínimos de escolaridade e experiência profissional definidos na figura 1, devendo ser respeitadas as exigências curriculares das legislações estaduais pertinentes. A experiência profissional deve ser comprovada em atividades relativas à soldagem, em pelo menos uma das seguintes áreas: projeto, controle da qualidade, fabricação, construção ou montagem de equipamentos e manutenção.

LEGENDA:
A – ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO (1º GRAU)
B – ENSINO MÉDIO COMPLETO (2º GRAU)
C
– CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA, METALURGIA OU NAVAL
D
– CURSO TÉCNICO DE SOLDAGEM
E – CURSO SUPERIOR EM ENGENHARIA NA ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS OU CURSO DE TECNOLOGIA DA SOLDAGEM
F – CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SOLDAGEM
N1 INSPETOR DE SOLDAGEM NÍVEL 1
N2
INSPETOR DE SOLDAGEM NÍVEL 2

Conhecimentos exigidos

O candidato a exame de qualificação visando a certificação deve comprovar, formalmente, através de certificado com data de emissão inferior ou igual a seis anos, ter obtido aproveitamento satisfatório em curso de treinamento com carga horária mínima de 162 h. Além disso, o candidato deve conhecer e aceitar formalmente as regras do termo de conduta e ética.

Acuidade visual

O candidato a inspetor de soldagem deve ter acuidade visual, natural ou corrigida, avaliada pela capacidade de ler as letras J-1 do padrão JAEGER para visão próxima, a 40 cm de distância, ou pelo emprego de método equivalente.

O candidato a inspetor de soldagem deve ter acuidade visual para visão longínqua, natural ou corrigida, igual ou superior a 20/40 da escala SNELLEN.

O candidato a inspetor de soldagem deve apresentar um laudo médico que informe sobre sua capacidade de efetuar distinção cromática, avaliado pelo padrão ISHIHARA ou pelo emprego de método equivalente. Este requisito não é eliminatório.

A acuidade visual do inspetor de soldagem deve ser avaliada anualmente, e esta avaliação deve ser enviada ao OCP (Organismo de Certificação Pessoal) em no máximo 30 dias após a data do exame.

Documentos

Para participar do processo de qualificação de Inspetor de Soldagem N1, o candidato deverá preencher os seguintes documentos a serem encaminhados ao OCP (Organismo de Certificação Pessoal):

Termo de Responsabilidade; RG, CPF, Comprovante de Residência;

Preenchimento de Formulário de Solicitação de Exame de Qualificação;

Termo de Compromisso.

Cequal

O CEQUAL (Centros de Exames de Qualificação) é o centro reconhecido para a aplicação dos exames de Qualificação e de Recertificação. Abaixo estão listados os locais onde você pode realizar os exames:

  • CEQUAL/SENAI-CTS DE SOLDA (Rio de Janeiro);
  • CEQUAL/FBTS (Rio de Janeiro);
  • CEQUAL/SEQUI-PB (São José dos Campos);
  • CEQUAL/SENAI-ACR (Contagem);
  • CEQUAL/SENAI-CIMATEC (Salvador);
  • CEQUAL/SENAI-PE (Pernambuco);
  • CEQUAL/SENAI-RS (Canoas).

Exame de Qualificação

Os candidatos a inspetor de soldagem níveis 1 devem ser submetidos a uma prova escrita de conhecimentos teóricos com base no programa de conhecimentos técnicos recomendáveis, que compreendem os assuntos listados conforme abaixo:

  • Terminologia;
  • Simbologia;
  • Consumíveis;
  • Processos de Soldagem e Corte;
  • Metalurgia;
  • Controle de Deformações;
  • Metais de Base;
  • Ensaios Mecânicos;
  • Ensaios-Não-Destrutivos;
  • Metrologia;
  • Qualificação de Procedimentos;
  • Documentos Técnicos;
  • Higiênie e Segurança do Trabalho.

Além da Prova Teórica os candidatos a Inspetor de Soldagem N1 devem se submeter às seguintes provas de conhecimentos práticos:

a) consumíveis 1;
b) 
documentos técnicos 1;
c) visual/dimensional;
d) acompanhamento de soldagem;
e) tratamento térmico;
f) dureza.

O candidato é considerado qualificado se obtiver nota igual ou superior a 7 (sete) em 10 (dez), em cada uma das provas de conhecimentos teóricos e práticos.

Reexame

O candidato reprovado em qualquer dos exames de qualificação pode requerer por duas vezes outro exame, sem a necessidade de refazer as partes em que obteve grau satisfatório, desde que o faça em um prazo máximo de 12 meses. O candidato reprovado em uma terceira tentativa pode requerer um novo exame, devendo fazê-lo em sua totalidade.

Certificação

Conforme a Norma NBR14842, o OCP (Organismo de Certificação Pessoal) deve emitir um certificado que indique o nível para o qual o profissional está certificado. O OCP deve ainda tornar público e informar, quando solicitado, a situação da certificação dos profissionais.

Validade da Certificação

A certificação de profissionais em Inspeção de Soldagem N1 tem prazo de validade de 60 meses a contar da data da emissão do certificado.

CONTINUA…

Share.

About Author

Leave A Reply