title="" />
Revista do Aço

ESSEN 2017 – Dusseldorf/Alemanha

ESSEN 2017 –  Dusseldorf/Alemanha

Apesar de certas tecnologias avançarem muito, elas ainda são instáveis e muito custosas, ao passo que outras há muito tempo desenvolvidas tornam-se acessíveis e populares, o tempo de maturação geralmente é de forma exponencial ou seja os primeiros anos tem uma atuação discreta e pouco eficiente, mas ao passar do tempo tornam-se mais eficientes e proeminentes, com isso muitas formas produtivas vão se tornando obsoletas, em todos os campos do conhecimento está acontecendo numa forma geral, um dos motores dessas mudanças são os softwares e a banalização e intenso uso dos dispositivos móveis. A tecnologia é inventada mas para se tornar plena é inevitável a integração com outras ferramentas, e isso gera um pouco de tempo.

Os dispositivos de comando e manipulação a distância já são uma realidade há vários anos, porém ainda é restrito ás atividades de especialistas e de alto custo, porém haverá a massificação desses sistemas com possibilidade de qualquer lugar do mundo controlar máquinas e equipamentos de soldagem. Dentro de pouco tempo certos processos de produção irão revolucionar o modo como são feitos produtos industriais, por exemplo como comprar um sapato da internet em alguns anos será feito pelo seu celular, você poderá scanear seu pé em 3D, enviar ao fabricante que imprimirá seu pisante em poucos minutos personalizado e confortável, analogamente na área de manutenção, poderemos reconstruir peças por soldagem pelo mesmo princípio através da engenharia reversar. Reconstruir peças desgastadas por soldagem se tornará uma realidade com a digitalização 3D da peça desgastada ou fraturada, identifica-se a quantidade de metal a ser reposto e faz-se o reparo em alguns casos com nenhuma usinagem posterior com distorções quase desprezíveis, isso só poderá ser feito quando esses sistemas se tornarem baratos e viáveis.

As fontes de soldagem com controle por pulso através de softwares existem há mais de 20 anos, mas só agora a pouco tempo você quase todos os fabricantes construindo a preços convidativos e qualidade confiável, a explicação é a fabricação em escala materiais mais baratos e principalmente o uso de softwares para a fabricação desses componentes. Os robôs industriais ainda são muito difíceis de serem utilizados por pessoas comuns, técnicos sem experiencia em programação, ou seja sem formação em complicados programas de execução de rotinas, mas isso tende a mudar de forma radical com a introdução de olhos/ouvidos/nariz/pele e cérebro aos Robôs industriais, ou seja no momento uma grande parte dos robôs só tem braços são cegos e não tomam decisão na execução de trabalhos, então para serem realmente produtivos precisam de “ sentimentos” que começam a tomar forma, tais como os sistemas de seguimento e identificação de junta (OLHO) , softwares que tomam decisão em alterar a geometria e regular os paramentos de soldagem durante a execução ( Mente).

Ainda somos totalmente dependentes de inspetores e soldadores para checar o acabamento das soldas e se foram bem feitas, já está sendo desenvolvido sistemas de identificação de forma através de sensores e medidores a laser, dessa forma será possível executar uma grande quantidade de inspeções automaticamente sem interferência humana, fazendo com que os inspetores sejam utilizados em atividades mais especializadas.

As soldadas mecanizadas já podem contar com Braços robóticos substituindo os dispositivos X-Y-Z fabricados com fusos manivelas ou mesmo com motores simples, o controle é feito por software, vejo dessa forma um primeiro passo para os sistemas de arco submerso serem robotizados.

Voltando ao conceito 3D com braços robóticos já é possível depositar metal de diversas formas por laser com pó ou arame, pelo processo MIG ou TIG, no momento pode-se desenvolver protótipos metálicos ou peças especiais em poucas horas, eliminando-se o demorado desenvolvimento de moldes e fundições com ligas especiais, e em alguns casos a fabricação de peças únicas em máquinas especiais.

ESSEN 2017 –  Dusseldorf/Alemanha

Em certos ramos de atividade onde as rotinas são simples já está sendo feito por softwares desenvolvidos com tecnologia de Inteligência artificial, advogados estão sendo substituídos pelo WATSON da IBM, no ramo industrial os layouts de fabrica estão sendo feitos por programas do XBOX 360 para visualizar processos e por técnicos com formação mínima, o que significa que cada vez mais deveremos ter uma alta especialização para estar atuante no mercado de trabalho.

A eletricidade está se tornando barata/ limpa e renovável a soldagem pode aproveitar essa oportunidade e criar processo de deposição e criação de peças onde em outras situações poderiam ser mais onerosas como a construção de peças inteiras por processos 3D, isso será possível com o desenvolvimento de ligas adequadas alimentares de pó ou arame sofisticados aliados a fontes finamente controladas, pois necessita-se de camadas cada vez mais finas com propósito de se obter superfícies cada fez mais planas e livres de escorias ou rugosidades.

Softwares irão dominar muitas atividades como já ocorre em muitos setores, basta saber quando isso irá penetrar nas atividades industriais e com custos que realmente compensem a sua utilização, como por exemplo um soldador do outro lado do mundo poderá operar ou soldar um peça em uma fábrica a milhares de km com qualidade e certificação apropriada.

As atividades profissionais deverão ser desenvolvidas por profissionais cada vez mais especializados e as atividades corriqueiras já em substituição devem se intensificar nos próximos anos.

Uma indústria que e consumiu muita engenharia de fabricação de plantas e complexos industrias é a de combustíveis fósseis, petróleo gás e carvão pois para poder liberar sua energia é necessário ser queimando, para a quebra das suas ligações atômicas e a liberação de energia na qual aquecem água para girar turbinas, esse conceito é do século XVII com a introdução das máquinas a vapor, disso resulta na movimentação de geradores elétricos e fornecimento de energia elétrica, esses sistemas são poucos eficientes tendo uma perda calorifica enorme, o mesmo ocorre com os motores a combustão, pois ainda o armazenamento de energia ainda é bem eficiente com os combustíveis líquidos e gasosos, tais como gasolina, diesel, querosene, GLP, GN, ao passo que as baterias a base de reações químicas ainda são muito ineficientes e pesadas, e estão tendo uma melhoria significativa, mas para se ter o arranque final a grande promessa é o grafeno que feito através de tecnologia 3D pode armazenar e captar grandes quantidades de energia, e ainda não está disponível em escala industrial, então o que se pode concluir que tecnologias revolucionarias precisam de engenheiros e tecnólogos que façam com que ela fique barata integradas a outros sistemas para torna-se produtiva e eficiente.

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um comentário