Humanos e Robôs: Trabalhando Juntos no Futuro

0

Muito se fala da quarta revolução industrial, conceito desenvolvido por alguns teóricos, em que a convergência de tecnologias como robótica, inteligência artificial, internet das coisas, entre outras, impactarão diretamente na vida das pessoas, desde estilo de vida, economia, política a mercado de trabalho. Segundo o alemão, Klaus Schwab, diretor e fundador do Fórum Econômico Mundial, essa nova fase transformará o mundo de forma significativa. No entanto, há quem diga que essa revolução já está em curso.

A partir de agora, prezados leitores, vocês terão a oportunidade de conhecer o ponto de vista da professora e doutora de psicologia robótica da universidade Johannes Kepler em Linz, na Áustria, Martina Mara.

“Para mim, a interação entre humanos e máquinas não é coisa do futuro, mas do presente. Minha função como “psicóloga robótica” é fazer com que as pessoas se sintam confortáveis nessa nova realidade, uma vez que a transformação tecnológica está acontecendo e, muitas vezes, por falta de conhecimento do assunto, o tema assusta.

Atualmente, os robôs virtuais estão mais presentes na vida diária das pessoas, como por exemplo, os bots. Em compra de lojas online, mensagens automáticas de redes sociais ou chats, eles estão lá interagindo com os humanos. Mas há também os robôs físicos, como aspiradores de pó, máquinas automatizadas e veículos elétricos, que estão chegando. Esses últimos são os mais temidos pelos profissionais, uma vez que eles acreditam que suas funções serão substituídas por máquinas.

Acredito que há poucas colaborações reais entre humanos e máquinas. Independentemente do local em que os robôs industriais sejam utilizados, geralmente, trabalham em gaiolas de segurança e atrás de fitas de barreira. Agora, é possível uma cooperação mais próxima devido às melhorias da tecnologia de sensores. O principal desta parceria é o entendimento mútuo entre humanos e robôs.

Há uma grande discussão sobre os cobots e robôs colaborativos, são outra realidade da revolução e seu desenvolvimento se dá, sobretudo, na indústria. No meu ponto de vista, o cobot deve se comportar de maneira que a pessoa se sinta segura e não dominada por eles. Há diversos comportamentos que precisam ser respeitados. Por exemplo, há pessoas que se dão melhor com robôs proativos, outras preferem um robô mais contido que apenas responde ao comando. É importante ressaltar que os cobots também devem ser projetados para diferentes níveis de expertise. Alguém que nunca conviveu com robôs tem necessidades muito diferentes ao interagir com a máquina do que alguém que está acostumado ou já tem muito conhecimento sobre robótica.

Humanos e robôs devem, principalmente, combinar seus pontos fortes e um robô não deve copiar um humano. Atualmente, há muitos significados e conceitos que não são esclarecidos corretamente. Muitas pessoas não possuem conhecimentos básicos, portanto, é de extrema importância esclarecer o contexto como um todo. Todos devem ser capazes de discutir como o futuro deve ser moldado pelas tecnologias. No geral, minha preocupação é criar um futuro robótico que tenha foco o ser humano. O robô pode nos proporcionar qualidade de vida para todos, liberando-nos de atividades cansativas, monótonas e que não gostamos”.

Professora e doutora Martina Mara – a primeira professora em todo o mundo de psicologia robótica e, desde abril de 2018, professora de psicologia robótica na universidade Johannes Kepler em Linz, .Áustria. É membro do conselho austríaco para robótica e inteligência artificial.

 

Acesse: www.fronius.com.br


Empresa de implementos tem até 65% a mais de produtividade com máquina de soldagem da Fronius
Equipamento reduz cerca de 120 horas de trabalho por mês

São Bernardo, agosto de 2019 – Acelerar os processos de produção se tornou uma necessidade, especialmente, na indústria manufatureira global, um dos principais setores para a expansão da economia. Um estudo divulgado pela Federal Reserve de Saint Louis, em 2019, constatou que o setor quase duplicou o uso de robôs nos últimos 20 anos. Só no Brasil, as empresas investiram 10% a mais em tecnologias digitais, entre 2016 e 2018, de acordo com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI).

Ao substituir tarefas repetitivas, geralmente, realizadas por um trabalhador, as células robotizadas proporcionam mais segurança, precisão e produtos com qualidade superior, sem contar que podem ser aplicadas para diversas finalidades, como: montagem, manipulação, paletização, soldagem e muito mais. Porém, um detalhe é importante: quanto maior o ciclo de trabalho, e melhor for a tecnologia de processamento e definição da qualidade do arco de solda acoplada ao robô, maior é a produtividade. De olho nesta assertividade, a Painco, líder na fabricação seriada de componentes e conjuntos soldados em chapas grossas de aço carbono, investiu na TPS 600i com PMC, um dos equipamentos mais modernos da Fronius – empresa líder mundial em inovação e tecnologia de soldagem.

“Quando compramos os robôs, algo que deixava a desejar nas fontes iniciais era a potência limitada (ciclo de trabalho), em torno de 350 amperes. Com a solução Fronius, esse problema foi resolvido. A empresa teve ganho de produtividade de até 65%”, explica Rafael Severino, engenheiro e diretor industrial da Painco. Ele conta ainda que, antes da aquisição do equipamento da Fronius, ele pensava que seria necessário investir em mais células robóticas. “A partir do momento que trocamos a fonte, verificamos que poderíamos produzir mais com o mesmo número de células que temos atualmente. E o investimento em uma solução comparado ao de uma célula robótica é muito menor. Hoje a Painco economiza 120 horas de trabalho por mês”, conta o engenheiro.

A TPS600i com PMC (foto ao lado), adquirida pela Painco, é uma máquina que combina as funções inteligentes da sua plataforma de aparelhos com as vantagens do processo de soldagem mais estável. Em especial, a Curva Sinérgica PMC traz um avanço significativo do uso da transferência metálica do tipo pulsada, com uma transferência multicontrolada do arco pulsado, que permite o aumento significativo da velocidade de soldagem, e com um controle tão preciso, que além de diminuir o aporte de calor ao processo, diminui sensivelmente a emissão de respingos. Seu processo de soldagem reduz visivelmente a aplicação de calor em comparação aos outros métodos de soldagem MIG/MAG e traz resultados melhores, pois as matérias-primas são livres de respingos, com menos perdas para o empreendedor e maior economia de tempo. Em combinação com a fonte de solda inteligente TPS600i, surgem ainda áreas de aplicação mais abrangentes: diversas possibilidades de ajuste, por exemplo, permitem regular a aplicação de calor na soldagem de maneira mais precisa, bem como otimizar a capacidade de ponte e o perfil de queima.

“Temos um orgulho imenso de desenvolver tecnologias tão diferenciadas como a TPS 600i com PMC. O mercado atual precisa de equipamentos que auxiliem nos processos de trabalho, tragam mais agilidade e benefícios em geral. Por esse motivo, é importante atualizar os equipamentos com novas funcionalidades e criar outros mais inovadores”, comenta Cláudio Sá, gerente da Unidade de Negócios de Soldagem da Fronius.


Fronius lança concurso para instaladores de inversores de sua marca
Autor da maior instalação será premiado com viagem à Áustria

São Bernardo do Campo, outubro de 2019 – Que instalador não gostaria de ir para a Áustria e conhecer o que há de mais tecnológico no setor? A Fronius, empresa líder em tecnologias e soluções em energia solar fotovoltaica, acaba de lançar a campanha “O Tamanho Importa”, uma promoção para os instaladores de inversores Fronius em todo o país.

Para participar é fácil, basta cadastrar, até o dia 31 de dezembro de 2019, as instalações com potência a partir de 800kWP com inversores Fronius no site da promoção (este aqui) e enviar fotos com visão geral da instalação, edifícios (incluindo os painéis) e detalhes do inversor Fronius utilizado na instalação. Atente-se, porque as fotos devem ser de alta qualidade (resolução de 300dpis), não podem estar distorcidas ou borradas, nem conter pessoas e filtros de edição.

Se você possui alguma instalação que se enquadre nesses requisitos, corra e faça seu cadastro no site. O vencedor do concurso ganhará uma viagem à sede da Fronius na Áustria. O segundo e terceiro lugar também serão premiados com viagens, sendo um pacote CVC e uma estádia de final de semana no Casa Grande Hotel, em Guarujá/SP, respectivamente. Além dos prêmios para os 3 primeiros colocados, as melhores instalações serão compartilhadas nas mídias sociais da empresa.

Share.

About Author

Leave A Reply