title="" />
Revista do Aço

O aço na construção civil

O aço na construção civil

O uso do aço proporcionou uma revolução nos padrões arquitetônicos, não só pelo tamanho das estruturas que agora eram possíveis, mas principalmente pelo melhor aproveitamento do espaço

Atualmente por onde se olha há aço. Largamente usado na construção civil, o aço pode estar presente como parte das obras ou como material principal. Já é sabido e amplamente divulgado que o sistema construtivo em aço permite liberdade no projeto de arquitetura. Ele oferece flexibilidade no projeto e compatibilidade com outros materiais além do menor prazo de execução, racionalização de materiais e mão de obra, alívio de carga nas fundações, garantia de qualidade, maior organização nos canteiros de obras e precisão construtiva.

De acordo com o Centro Brasileiro de Construção em Aço (CBCA), a construção em aço representa atualmente cerca de 14% do universo do setor de edificações. De acordo com o Instituto Aço Brasil, o consumo de aço para estruturas metálicas voltadas para a construção cresceu 6,4% entre 2013 e 2012. Em 2013, o setor dos fabricantes de estruturas de aço empregou aproximadamente 31 mil trabalhadores e faturou cerca de R$ 9 bilhões. No período de 12 meses, houve um crescimento de 1,4% da capacidade produtiva destas empresas em relação a 2012. O nível de utilização dessa capacidade ficou em 73%. Os dados são da pesquisa Perfil dos Fabricantes de Estruturas de Aço – 2014, realizada pelo CBCA – Centro Brasileiro da Construção em Aço em parceria com a ABCEM – Associação Brasileira da Construção Metálica, abrangendo um universo de 166 empresas participantes.

Outra pesquisa realizada pelo CBCA e ABCEM pelo segundo ano consecutivo com os fabricantes de telhas de aço e steel deck apresentou para esse setor uma produção total em 2013 de cerca de 415 mil toneladas, representando 16,5% do mercado brasileiro de coberturas, com 60% de participação no segmento industrial e comercial. As telhas trapezoidais` e/ou onduladas foram responsáveis por aproximadamente 75% dessa produção.

O aço na construção civil

O segmento expressa também a preocupação com a qualidade e conformidade com seus processos de produção: 70% das empresas mantém algum tipo de certificação. Considerando-se que o segmento residencial representa cerca de 72% do mercado total de coberturas, e que o aço ainda é inexpressivo nessa categoria, conclui-se que há um enorme potencial de crescimento nesse importante mercado.

Pesquisa inédita realizada pelo CBCA em parceria com o ICZ – Instituto de Metais Não Ferrosos em 2014, “Cenário dos Fabricantes de Perfis Galvanizados” mostrou que o segmento apresentou uma produção total de cerca de 36 mil toneladas de perfis para Light Steel Frame em 2013, com capacidade produtiva instalada de 78 mil toneladas. Já a produção total de perfis para Drywall no mesmo período ficou em cerca de 69 mil toneladas, com capacidade instalada de cerca de 123 mil toneladas.

Uso e vantagens
A presença do aço na construção só tem aumentado. São inúmeras as vantagens no uso desse material. Maurício Giacomel, gerente comercial da Brafer, diz que a presença da estrutura metálica na construção vem sendo observada desde o século 18 e cada vez mais utilizada em projetos que possuem características técnicas distintas como pontes e viadutos com grandes distâncias entre apoios, inovações arquitetônicas, prédios multiandares, bem como demais itens específicos como estacas em perfil laminado, coberturas, pontes rolantes etc. “Com este significativo aumento da utilização do aço na construção, durante as décadas seguintes a sua introdução no mercado, buscaram-se novas tecnologias para capacitação das usinas, como fabricação de perfis laminados, bem como chapas laminadas a quente e a frio”, diz.

James Mauro, diretor de Unidade de Negócio da Tuper, diz que o uso do aço na construção traz inúmeras vantagens. Além da já citada questão arquitetônica, modernidade, beleza e estética, ele lembra que o aço é 100% reciclável. Para cada aplicação, há ainda vantagens específicas. Para ele, com o uso de tubos de aço, por exemplo, é possível contabilizar ganhos econômicos já que eles resistem a grandes cargas como estrutura metálica e suportam grandes volumes e pressões em aplicações como dutos. “Já na utilização em indústrias alimentícias, de bebidas, químicas ou farmacêuticas, a higiene é certamente uma vantagem considerável ao se optar pelo uso do tubo de aço, por minimizar o acúmulo de poeira”, elenca. Outro item importante lembrado por Mauro é o fato de os perfis de aço também serem mais baratos, mais leves e resistentes no caso de estruturas. “Nas coberturas metálicas (telhas) há um ganho econômico e estético, rigidez e durabilidade”. Ele diz que os produtos feitos pela Tuper possuem certificado de origem. “Os andaimes Tuper, por exemplo, se destacam pela segurança e qualidade e são certificados de acordo com a NR 18”, atesta.

Giacomel diz que a Brafer está há 39 anos no mercado nacional e internacional e oferece uma série de produto no fornecimento e montagem de estruturas metálicas específicos para diversas áreas como siderurgia e mineração; papel e celulose; energia; obras especiais; edifícios; galpões, óleo e gás e telecomunicações: Postes e torres metálicas para suporte de antenas de telecomunicações com alturas de 30 a 120 metros.

Tipos usados
Existem diversos materiais produzidos pelas usinas nacionais com grande utilidade em obras industriais de estrutura metálica. Modesto Menegotto, gerente de Suprimentos da Brafer, lembra que as mais comuns são bobinas de aço, chapas grossas, perfis laminados (perfis I, perfis U, cantoneiras, barras redondas, barras chatas, entre outro). “Esses materiais são produzidos pelas usinas em aços estruturais principalmente nas qualidades ASTM A36 e ASTMA 572G50. Para projetos especiais existe a opção de aços estruturais patináveis (resistentes a corrosão), ASTM A588”, descreve. Ele lembra ainda que existem outras normas específicas de cada usina que também podem ser adquiridas sob encomenda para projetos especiais.

O aço na construção civilMenegotto destaca ainda que prédios habitacionais utilizam muito os perfis I laminados e pontes e viadutos costumam fazer uso de chapas grossas, “normalmente com qualidade de materiais resistente a corrosão, a fim de aumentar a vida útil da estrutura”.

James Mauro, diretor de Unidade de Negócio da Tuper, diz que o portfólio de produtos da empresa contempla soluções para diferentes aplicações em sistemas construtivos, desde tubos para fundação e estaqueamento até os mais modernos sistemas de coberturas metálicas. “Além de tubos estruturais e de condução pretos e galvanizados, fornecemos eletrodutos, chapas de aço, perfis estruturais, escoras metálicas, sistema de lajes mistas nervuradas e andaimes”, relata. Ele acrescenta ainda que nos prédios habitacionais e comerciais, é comum também o uso de escoras metálicas e as lajes mistas nervuradas, ambas patenteadas pela Tuper, além dos andaimes e tubos de condução para redes de combate a incêndio. No caso de obras estruturais, como pontes, viadutos, passarelas, a empresa fornece tubos helicoidais, tubos estruturais, perfis e andaimes.

O aço na construção civilLuiz Carlos Caggiano, vice-presidente da Brafer, concorda que o setor de construção civil esteve bem ativo nos últimos anos, mas lembra que o setor, como a Brafer, tiveram crescimento constante até a crise de 2008, voltando a crescer em 2010, tendo seu ápice em 2014.

A caldeira Klabin com Pipe Rack, pontes Vale (na região norte), arenas olímpicas Handball e Deodoro Rio de Janeiro, estruturas Angra III, entre outras. “Nossas perspectivas são as do nosso País, crises, como 2008 e agora, principalmente com falta de trabalho, nos faz sair da zona de conforto e nos força a pensar seriamente em aumento da competitividade’, sinaliza. Ele acrescenta que com a escassez de obras industriais de grande porte, principalmente nos setores de mineração, siderurgia e óleo e gás, a empresa migrou os objetivos para obras civis de menor porte, obras de infraestrutura, torres para linhas de transmissão, telecomunicação e serviços.

O aço na construção civilA Tuper aposta no mix de produtos. “Embora a perspectiva geral do setor seja de baixa nos negócios, mais do que produtos, ofertamos soluções completas para nossos clientes, o que nos torna referência no fornecimento para o setor da construção civil e nos permite manter boas expectativas mesmo em períodos não tão promissores para a economia”, diz James Mauro, diretor de Unidade de Negócio da Tuper. Além disso, ele diz que a empresa também desenvolve projetos especiais em conjunto com clientes parceiros, feitos sob medida para as necessidades do setor.
Atenta às oportunidades e demandas de mercado, José Mauro diz que a Tuper pretende contribuir de forma significativa para impulsionar o setor do aço no Brasil. As áreas de Engenharia e de Pesquisa e Desenvolvimento contam com a parceria de centros de pesquisas, universidades nacionais e internacionais, entidades representativas e empresas líderes mundiais em tecnologia. “Para o setor da construção civil, um dos destaques é o sistema de Lajes Mistas Nervuradas que substituem os modelos convencionais de lajes e trazem vantagens econômicas e estruturais”, explica. Ele diz ainda que os andaimes são baseados nas normas europeias de fabricação, como a EN 12811, e também respeitam as exigências brasileiras impostas pela NR-18, que regulamenta as condições e o meio ambiente de trabalho na indústria da construção, incluindo andaimes e plataformas, e determina os requisitos de segurança no trabalho, e da ABNT NBR 6494, que trata da segurança das estruturas.“Estamos aptos e focados também no fornecimento de tubos estruturais para uso como estacas, em substituição a perfis laminados e estacas de concreto”.

O aço na construção civilUsos
James Mauro diz que as estruturas metálicas podem ser aplicadas em diversas fases da obra, como fundações, pilares, tesouras em aço, terças metálicas, coberturas e estruturas de sustentação ou espaciais.

Podem ser usadas em pórticos, passarelas, arenas, aeroportos, shoppings, galpões fabris, centros de distribuição, edifícios entre outros. As estruturas metálicas são usadas também quando há a necessidade de agilidade na construção ou em obras sustentáveis. Também são aplicáveis para a redução de custos, para dar mais funcionalidade à obra e beleza arquitetônica.

Algumas vantagens do uso de aço no sistema construtivo

Estrutura metálica aparente ou revestida? Essa é a primeira decisão que o arquiteto deve tomar ao trabalhar com estrutura de aço. Ao contrário do que muitos possam pensar, a maior parte das obras em aço existentes no exterior são realizadas com o aço revestido. Essa solução, que pode significar redução nos custos de pintura e proteção contra incêndios, deve ser adotada quando o que importa são as inúmeras vantagens do aço como material estrutural e não a “estética do aço”. Cabe ao profissional definir qual a solução mais adequada para cada obra. Nessa etapa do projeto é interessante uma consulta a um calculista que poderá orientar sobre as melhores alternativas.

O aço na construção civilDiante das inúmeras possibilidades, Mauricio Giacomel, gerente comercial da Brafer lista alguns benefícios que a estrutura metálica traz ao processo construtivo convencional:

• Prazo de Execução: A atividade de fabricação das estruturas metálicas, visto que produzidas em fabrica específica, poderá ser realizada de forma paralela à construção das fundações no canteiro de obras, proporcionando a execução de etapas de forma simultânea. A montagem das estruturas no canteiro ocorre de forma paralela as demais atividades e com prazo inferior a 30% do necessário para construção em concreto convencional.

• Arquitetura: A utilização do aço proporciona ao arquiteto novas possibilidades com a construção de projetos antes nunca viáveis devido a baixa resistência à tração do concreto.

• Área de utilização: Muito importante em espaços limitados, as dimensões de colunas e/ou vigas em Aço são na maioria dos casos muito menores que em concreto, traduzindo em maior área de utilização do projeto.

• Retrofit: Sempre que necessário em um empreendimento existente, as alterações e reformas em construções convencionais são extremamente desgastantes técnica e comercialmente. Quando utilizamos estruturas em Aço para estes tipos de modificações, normalmente temos menos impactos na estrutura existente e caso necessário a troca de um elemento estrutural, a utilização do Aço se mostra em 99% dos casos mas adaptável.

• Construções mistas: Mesmo em estrutura em Estrutura metálica, há a possibilidade de utilização de elementos de fechamento, lajes, etc de forma mista, com utilização de elementos comuns a componentes pré-moldados como Drywall, painéis de concreto e esquadrias.

• Diminuição no peso das cargas estruturais: A estrutura metálica é significativamente mais leve que o concreto, desta forma, para cálculo de fundações é expressamente mais econômica a execução quando a estrutura é feita em Aço. Considerando que estes serviços de escavação ocorrerem em solos diversos, a diferença no custo entre a carga em estruturas metálicas e a convencional, podem chegar a 35% a menor.

• Sustentabilidade (Materiais e Mão de Obra): A construção metálica, diferentemente da convencional em concreto e demais elementos, é constituída de materiais e produção industrializados, que diretamente resulta em economia de materiais e principalmente diminuição dos desperdícios em campo. Quanto a fabricação em aço, o desperdício ou sobra de material é de 7%, contra 25% em média no sistema convencional de construção. Muito mais evidente quando em situações específicas como construção de grandes empreendimentos como portos, aeroportos e obras do tipo. Adicionalmente, o aço é um material 100% reciclável, portanto esta perda apresentada pode ser vendida como sucata e transformada em material utilizável novamente.

• Garantia de Qualidade e Segurança: Sendo que a fabricação das estruturas metálicas ocorre em ambientes controlados, é muito mais exequível o controle de qualidade e segurança dos processos e atividades. Normalmente reguladas por Normas técnicas brasileiras e internacionais, as estruturas em Aço passam por inúmeras verificações técnicas que permitem à ótima trabalhabilidade e consequente qualidade dos serviços.

• Valor econômico: Diante de uma redução no prazo da obra e consequente entrega do empreendimento antes do prazo previsto, há a possibilidade de previa utilização do espaço. Este prazo de tempo ganho traduz em retorno imediato ao investidor, objeto principal do empreendimento.

• Espaço de trabalho: Diante de um sequenciamento de fabricação e portanto montagem das estruturas, não se mostra necessário, salvo em empreendimentos específicos, a utilização de grandes espaços para armazenamento e pré-montagem das estruturas. Este espaço adicional certamente necessário para estoque de areia,brita, cimento e demais materiais convencionais, está cada vez mais escasso visto os terrenos e localizações dos empreendimentos. Fato realmente mais evidente em shopping centers, mercado, centro de convenções, postos de gasolina, e outros espaços situados em grandes centros operacionais.

O aço na construção civil

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um comentário