Reforma TRIBUTÁRIA deve ampliar a COMPETITIVIDADE da INDÚSTRIA, melhorando acesso ao CRÉDITO e o CUSTO do capital

0

O Brasil está em último lugar no ranking de custo do capital, na comparação com dezessete países com economia similar, segundo estudo da CNI (Confederação Nacional da Indústria). Para Felipe Leonard, CEO da empresa global S.I.N. Implant System, a alteração nos impostos deve gerar empregos e atrair investidores, sendo fundamental para a recuperação da economia

Para o CEO e presidente da S.I.N. Implant System Felipe Leonard, o fato de o Brasil estar em último lugar no ranking de custo do capital, em comparação com países de economia similar, tem relação direta com os altos impostos e a sua complexidade, que aumentam o risco e dificuldade de geração de renda no País. Por isso, com a Reforma da Previdência encaminhada, é hora de se iniciar amplo debate para que a Reforma Tributária tenha um impacto mais rápido para a recuperação da economia.

Na visão do executivo, a alteração dos tributos tende a atrair investimentos a curto e médio prazos, reduzindo o chamado “custo Brasil” ¬   que torna o País, atualmente, pouco atrativo para as empresas. Também acaba permitindo ao País e às empresas acesso a melhores condições de crédito no mercado financeiro global.

Segundo Leonard, o custo financeiro e a dificuldade de acesso ao crédito no Brasil reduzem fortemente os investimentos e a geração de renda e emprego no País. “Ao mesmo tempo, a complexidade e pressão fiscal atentam também contra a geração de renda, aumentando o risco para quem vai fazer empréstimos. Como consequência, o dinheiro fica mais caro e mais restrito”, explica o CEO.

“Com o equilíbrio dos impostos e burocracias, além de medidas capazes de atenuar a insegurança jurídica, vamos conseguir facilitar o acesso ao crédito do País como um todo e, inclusive, no setor privado”, defende Leonard.

A S.I.N. Implant System, com fábrica instalada no País, opera em mais de 20 países e é controlada pelo grupo internacional Southern Cross Group, que atualmente investe mais de U$ 2,8 bilhões em 38 empresas de toda a América Latina.

Conforme o boletim Competitividade em Foco, divulgado no início do mês pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Brasil ficou em último lugar (18º. posição) no ranking do custo e disponibilidade do capital, quando comparado a dezessete outros países com economia similar à brasileira. Os principais competidores do Brasil no mercado internacional e que estão à sua frente são: Argentina, Austrália, Canadá, Chile, China, Colômbia, Espanha, Indonésia, Índia, Coreia do Sul, México, Peru, Polônia, Rússia, Tailândia, Turquia e África do Sul.

Segundo a publicação, o Brasil é o País que apresenta a mais alta taxa de juros real de curto prazo entre os 18 países avaliados. A taxa de juros real de curto prazo no Brasil é de 8,8% ao ano, o que representa 68% acima dos 5,2% ao ano cobrados na Rússia, país que está na 17ª colocação.

Muitos entraves para as corporações

Para um projeto empresarial vingar, sabe-se que ele precisa ser viável e demonstrar sua rentabilidade em primeiro lugar. “Mas no Brasil, para isso ocorrer, é necessário lidar com uma carga tributária altíssima, com PIS, Cofins, ICMS e IPI, além de burocracias e um custo laboral considerável, com os encargos e impostos sobre a geração de trabalho”, enfatiza Leonard. “A isso se somam os trâmites para obtenção de licenças e alvarás, sendo que é preciso, muitas vezes, outorgar parcelamentos aos clientes, com a consequente inadimplência de alguns deles. Por fim, surge o grande obstáculo: o custo do acesso ao crédito para financiar essa roda toda. E o fato de a roda ser tão complexa é que aumenta o custo do crédito e reduz a sua disponibilidade”, conclui Felipe Leonard.

Sobre o entrevistado: Felipe Leonard é presidente e CEO da empresa global S.I.N. Implant System

Sobre a S.I.N. Implant System: Com uma trajetória de conquistas apoiada nos princípios simplicidade, inovação e nanotecnologia, a S.I.N. Implant System está presente em mais de 20 países, e já é referência global. A marca atua no mercado desde 2003, oferecendo as melhores linhas de implantes dentários do mundo, além de componentes protéticos. A empresa tem como visão oferecer o que há de melhor e mais seguro na área de implantodontia, utilizando, para isso, tecnologia de ponta e equipamentos de última geração, que passam por rigoroso controle de processos. A excelência em qualidade dos produtos é garantida e comprovada por meio de certificações nacionais e internacionais.

O sonho de restaurar sorrisos, iniciado com a sra. Neide e o dr. Ariel Lenharo continua vivo. Em tempo: Ariel Lenharo foi o primeiro doutor em implantodontia do Estado de São Paulo, tendo também realizado sua pós-graduação nos Estados Unidos, no Pankey Institute. Neide e dr. Lenharo estiveram à frente da companhia até 2009, quando o controle acionário da S.I.N passou para o fundo de investimentos Southern Cross Group, equity firm líder e mais antigo dedicado ao mercado latino-americano, com mais de U$ 2,8 bilhões investidos em 38 empresas em todo o continente.

Share.

About Author

Leave A Reply