Usiminas obtém patente do aço extra limpo

0

A Usiminas acaba de conquistar um novo certificado de patente do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). O projeto, que é a produção de aço laminado extra limpo, foi idealizado por uma equipe técnica da Gerência-Geral de Laminação a Frio da Usina de Cubatão e atende uma exigência do mercado, pois oferece mais qualidade ao produto final. O processo para a obtenção da patente foi iniciado em 2013.

Para a produção desse tipo de material, tradicionalmente na Siderurgia, a maioria das instalações utiliza uma linha de limpeza eletrolítica, que gera resíduos e aumenta o custo de produção. No caso da Usiminas, o processo reconhecido como inovador elimina a necessidade de instalação de uma linha especifica, reduzindo o custo da fabricação e diminuindo a quantidade de resíduos gerados, sem alterar a qualidade do produto final.

“O invento surgiu a partir das demandas percebidas no mercado por materiais com alto valor agregado, principalmente na linha branca e a indústria automotiva. Esses segmentos também demostram a necessidade de receber materiais com baixo resíduo. Pensando nisso, a Usiminas denominou esse material como ‘Extra Limpo’ e desenvolveu o processo”, detalhou José Dias Blanco, líder da equipe do projeto.

 Certificação Engenharia da Qualidade

A Usiminas fechou o ano de 2019 com 15 novos profissionais certificados como Engenheiros da Qualidade pela American Society for Quality (ASQ), entidade internacional dedicada à promoção do tema e que reúne cerca de 80 mil membros em todo o mundo. Atualmente, em todo o Brasil, 615 profissionais possuem o título de Certified Quality Engineer (CQE). Destes, 298 atuam em alguma das cinco empresas Usiminas.

A companhia iniciou o trabalho de formação de seus colaboradores há 30 anos e todo o processo de formação desses profissionais é realizado com recursos internos. Os profissionais participam de um curso com duração de 240 horas, distribuídas entre os meses de março e novembro. Os professores são ex-alunos do curso que obtiveram a certificação e foram destaques em turmas anteriores. Ao longo do ano, a turma trabalha temas como Gestão e Liderança, Sistema da Qualidade, Gestão de Fornecedores e Clientes e Gerenciamento de Riscos, todos abrangidos pela certificação.

“O Engenheiro da Qualidade detém conhecimentos e habilidades profissionais que permitem a disseminação interna de práticas que aumentam a competitividade da organização. Para a Usiminas, a presença de profissionais certificados pela ASQ sinaliza para o mercado, principalmente para os clientes, que somos uma organização que investe na capacitação dos nossos colaboradores e que temos funcionários com alto grau de qualificação. Essa qualificação reflete na qualidade dos produtos e serviços”, destaca Luiz Cláudio de Oliveira Meyer, gerente-geral de Atendimento ao Cliente, Garantia da Qualidade e Produto e profissional certificado em Engenharia da Qualidade desde 1994.

 Segurança de Processos

Eduardo Barbosa, gerente-geral de Segurança de Processos da Usiminas.

A Usiminas é a primeira siderúrgica brasileira e a segunda no mundo a se associar ao Centro para Segurança de Processos Químicos (CCPS), organização com sede nos Estados Unidos e atuação mundial na área da indústria. A CCPS é hoje a maior referência mundial do tema e a que mais produz e publica material técnico de segurança de processos, confiabilidade e projetos inerentemente mais seguros. A expectativa é que a parceria garanta mais subsídios para os profissionais da empresa que atuam na Segurança de Processos, área implantada de forma pioneira na siderurgia brasileira em 2018 com foco na prevenção de acidentes de grandes proporções.

O CCPS é referência mundial no assunto e reúne fabricantes, agências governamentais, consultores, universidades e seguradoras de diversos países. Atua na padronização de processos, treinamentos, análises, entre outros trabalhos de suporte. “Associar ao CCPS traz várias oportunidades de aprendizado e conhecimento que poderemos aplicar para tornar nossa empresa cada vez mais segura. A World Steel Association também é associada e tem incentivado as siderúrgicas a se desenvolverem no tema”, informa o gerente-geral de Segurança de Processos da Usiminas, Eduardo Barbosa.

 Investimento e controle dos riscos

Durante este primeiro ano de trabalho, a área de Segurança de Processos da empresa avançou em temas importantes, como avaliação de riscos dos processos nas plantas das usinas de Ipatinga e Cubatão e treinamento das lideranças.  “Em 2020 avançaremos ainda mais com implantação de normas de gestão de segurança de processo, treinamento em todos os níveis bem como ferramentas operacionais e gerenciais para garantir que as barreiras de prevenção e proteção estejam sempre ativas, bem como uma gama de indicadores de performance do processo de gestão”, acrescenta Barbosa.

Acesse: www.usiminas.com.br

Usiminas reverte prejuízo e registra lucro de R$ 268 milhões no quarto trimestre

A Usiminas apresentou neste fevereiro passado, os resultados referentes ao quarto trimestre de 2019. A companhia encerrou o período com um lucro líquido de R$ 268 milhões, contra um resultado líquido negativo de R$ 139 milhões no terceiro trimestre do ano passado.  O Ebitda Ajustado Consolidado (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) no quarto trimestre atingiu R$ 468 milhões e a margem Ebitda Ajustado alcançou 12%. No trimestre anterior (3T19), esses indicadores atingiram, respectivamente, R$ 441 milhões e 11%.  No ano, a empresa contabilizou lucro líquido de R$ 377 milhões, Ebitda Ajustado Consolidado de R$ 2 bilhões e margem Ebitda de 13%.

Entre os principais indicadores de 2019 estiveram também o volume de vendas de aço, de 4,1 milhões de toneladas e o volume recorde de vendas de minério de ferro, de 8,6 milhões de toneladas. Destaque ainda para a receita líquida (R$ 14,9 bilhões), que registrou uma elevação de 8,8% quando comparada com 2018 (R$ 13,7 bilhões), em função, principalmente, de maiores volumes e preços de venda na Unidade de Mineração e aos maiores preços praticados na Unidade de Siderurgia.

O presidente da Usiminas, Sergio Leite, ressalta o novo perfil de endividamento conquistado pela empresa, com melhores prazos e custos financeiros. “Demos importantes passos no final do ano passado no que diz respeito ao endividamento da companhia. Em operações muito bem-sucedidas, emitimos bonds no valor de US$ 750 milhões em julho e, em outubro, emitimos debêntures no valor de R$ 2 bilhões. Além disso, com recursos recebidos de uma ação judicial, quitamos cerca de R$ 750 milhões da nossa dívida”, afirma Leite.

Na avaliação do CEO, apesar dos desafios de uma economia que continua apresentando resultados aquém do esperado, todos os esforços da Usiminas vêm sendo concentrados na busca da perenidade e sustentabilidade dos resultados.

 Outros Indicadores

Na Siderurgia, o Ebitda Ajustado atingiu R$ 184 milhões no quarto trimestre de 2019, com redução de 13,5% em relação ao 3T19 (de R$ 213 milhões). No mesmo período, a margem Ebitda Ajustado foi de 6%, em linha com o registrado no trimestre anterior (3T19). No acumulado do ano de 2019, o Ebitda Ajustado da Siderurgia atingiu R$ 1,1 bilhão, contra R$ 2,4 bilhões no ano anterior. A margem Ebitda Ajustado em 2019 alcançou 8,7%, contra 19,3% em 2018.

No quarto trimestre de 2019, a Mineração Usiminas (Musa) registrou um Ebitda Ajustado de R$ 209 milhões, aumento de 11,3% em comparação ao terceiro trimestre (R$ 188 milhões). A margem Ebitda Ajustado no período ficou em 36,4%, contra 33,9% no terceiro trimestre de 2019. No ano, a Musa registrou o maior Ebtida Ajustado de sua história, R$ 740 milhões, um aumento de 264,4% quando comparado a 2018 (R$ 203 milhões). A margem Ebitda Ajustado registrou 37,2% no ano passado e 18,7% em 2018.

Reflexo da estagnação de projetos nos setores de óleo e gás e infraestrutura no país, o Ebitda Ajustado da Usiminas Mecânica ficou negativo em R$ 10 milhões no quarto trimestre de 2019, contra R$ 6 milhões negativos no terceiro trimestre. A margem Ebitda Ajustado no quarto trimestre de 2019 foi de 7,6% negativa, e de 4,6% negativa no trimestre anterior (3T19). No acumulado de 2019, o Ebitda Ajustado da Usiminas Mecânica foi negativo em R$ 16 milhões, contra os R$ 21 milhões negativos de 2018. A margem Ebitda Ajustado ficou negativa em 3,9% no ano de 2019 e em 6,1% negativos em 2018.

Na Soluções Usiminas, que atua no mercado de distribuição e processamento de aço, além de serviços e fabricação de tubos de pequeno diâmetro, o Ebitda Ajustado no quarto trimestre do ano passado foi de R$ 34 milhões, uma elevação de 7,9% quando comparado aos três meses anteriores (3T19), quando atingiu R$ 32 milhões. Já a margem Ebitda Ajustado ficou em 3,6% no período, contra 3,2% no terceiro trimestre. No acumulado do ano de 2019, o Ebitda Ajustado da Soluções Usiminas atingiu R$ 120 milhões, alta de 2,1% em relação a 2018 (R$ 118 milhões), resultando em um Ebitda recorde na Unidade de transformação do aço. A margem Ebitda Ajustado atingiu 3,2% no ano de 2019 e 3,6% em 2018.

Share.

About Author

Leave A Reply